Ganhando Dinheiro com Eletrônica

Veja também:

Pequenos Negócios - Como Ganhar Dinheiro na Internet


O Mercado da Eletrônica

Sem dúvida nenhuma, a forma mais segura de ganhar dinheiro atuando na área de eletrônica é trabalhar em alguma empresa como técnico ou engenheiro eletrônico. Neste caso é normalmente necessário que se tenha um diploma na área.

O campo de atuação nas empresas é amplo, indo de manutenção, controle de processos, qualidade, desenvolvimento de produtos, administração etc.

Mas neste nosso artigo queremos abordar outra forma de ganhar dinheiro, trabalhando com eletrônica. Vamos falar de negócios próprios.

Novamente, o mercado é amplo. Basicamente podemos iniciar 2 tipos de negócios:

  • Serviços;
  • Produtos;

Atuando na área de serviços, você pode, por exemplo, iniciar um negócio nas seguintes áreas:

  • Manutenção;
  • Montagem de Placas;
  • Projeto de Produtos;
  • Teste de Placas;
  • Venda de Componentes e Produtos;
  • Professor;
  • Consultoria;

Atuando na área de Produtos, você precisará desenvolver um produto para depois comercializá-lo.

Serviços

Se você decidir atuar na área de Serviços com eletrônica, precisa ter em mente alguns conceitos. Normalmente se pretende prestar serviços, seja em eletrônica ou não, é necessário dominar o conhecimento na área. Um dos grandes problemas de se trabalhar com eletrônica, principalmente com serviços, é a má reputação gerada nesta área por profissionais que prestaram serviços ruins ao longo de muitos anos. Este problema fica evidente em projeto de circuitos. É bem comum o cliente, que precisa desenvolver um circuito eletrônico, contratar um técnico ou engenheiro para fazer o desenvolvimento. Mas a desconfiança é grande pois é comum também o projetista abandonar o projeto quando a dificuldade técnica aparece e ele percebe que chegar à solução final vai ser mais complicado do que o previsto inicialmente. Então a primeira dica é realmente dominar o conhecimento na área que pretende prestar serviços. Projeto de soluções eletrônicas é algo muito amplo, envolvendo circuitos simples até soluções bem complexas.

Um aspecto importante é planejar muito bem a atividade a ser desenvolvida para evitar descobrir, ao longo do trabalho, que o valor cobrado do cliente é insuficiente para completar a atividade. Causa uma impressão muito ruim ter que reajustar o valor antes de completar a tarefa. A Proposta Comercial deve ser detalhada para ficar bem claro para você e para o cliente o trabalho que está sendo proposto. Assim evita-se que o cliente aumente o escopo do trabalho, acrescentando novos detalhes e características, além de permitir a você realizar a primeira análise detalhada da atividade a ser desenvolvida.

Quando você vai fechar uma Proposta Comercial, primeiro tem de avaliar muito bem se tem todas as condições para prestar o serviço.

Deve avaliar os aspectos abaixo:

  • Eu tenho conhecimento suficiente para chegar à solução final?
  • Eu tenho os equipamentos necessários? (multímetro, osciloscópio, ferro de solda etc)
  • Quanto será gasto na montagem do protótipo ou na prestação do serviço? (este valor deve ser incluído na Proposta Comercial);
  • Quanto tempo será empregado para o desenvolvimento ou prestação do serviço, incluindo projeto, montagem, compra de componentes visita ao cliente, hospedagem etc;
  • Reservar um valor para suporte após a prestação do serviço;
  • Qual o risco da atividade? Pode haver retrabalho ou mesmo reprojeto?;
  • O serviço ou produto desenvolvido tem que ser homologado em órgãos de fiscalização como Inmetro, Anatel, Anvisa etc? Em caso afirmativo o cliente deve ser alertado sobre isto, pois implica em custos e muitas vezes elevados;
  • O Produto ou serviço prestado implica em riscos para o cliente final? (choque elétrico, acidentes em função de operação incorreta por falha no produto desenvolvido etc);
  • Não esquecer de acrescentar os impostos que serão pagos em função do trabalho desenvolvido;

O sucesso da Empresa Prestadora de Serviço está na capacidade de entregar uma boa solução ao cliente. Se você entregar um resultado que agrade ao cliente, certamente ele vai solicitar novos serviços. Mas caso ele não aprove o trabalho entregue ai a chance de novos projetos fica bem improvável.

Quando estamos elaborando uma Proposta Comercial, se o fluxo de caixa da empresa está crítico, é comum negligenciarmos as análises da lista acima, pois muitas vezes queremos iniciar aquela atividade o mais rápido possível. Mas esta atitude certamente trará problemas que podem inclusive inviabilizar o trabalho iniciado e causar sérios prejuízos à empresa.

Produtos

Uma outra forma de trabalhar com eletrônica é desenvolver um produto e tentar comercializá-lo. Este tipo de empresa é bem comum e normalmente atende a nichos de mercado. O mais seguro é desenvolver um produto para atender a clientes específicos, pois o risco é menor.

Existe uma certa ilusão de que é fácil desenvolver um produto eletrônico e começar a ganhar dinheiro com sua fabricação. Mas na verdade vai perceber que pode ter a ideia de desenvolver um produto que acha original e numa simples busca na internet vai descobrir que provavelmente alguém já o produz.

Praticamente tudo que se possa pensar em eletrônica já é fabricado em algum lugar. E quanto mais simples o produto ou de maior demanda, esta realidade é mais forte. Então, a possibilidade de se ter sucesso com um "produtinho" comum é bem baixa.

Como disse anteriormente, para superar a concorrência, uma possibilidade é desenvolver um produto específico para um nicho de mercado e preferencialmente para clientes com os quais já tenha contato. As vezes você já presta algum tipo de serviço para um cliente e pode pesquisar se ele necessita de algo específico que você tenha condições de desenvolver. Ai pode existir uma boa oportunidade para iniciar o negócio.

Outra preocupação é a concorrência dos produtos importados, em especial os chineses. O Brasil não tem fábrica de componentes eletrônicos. Assim, a maioria dos componentes utilizados por aqui é importado. Assim ele é mais caro por aqui se comparado, por exemplo, com o valor do mesmo componente na China. Esta realidade faz com que qualquer produto eletrônico fabricado no Brasil já fique mais caro do que o equivalente fabricado na China. Além disto, a China trabalhou as últimas décadas para distribuir seus produtos para o mundo todo. Com isso os volumes produzidos por lá são muito elevados, reduzindo ainda mais os custos de fabricação. Então, ao pensar em um produto novo, pesquise se já não existe um similar chines, já comercializado por aqui. Esta concorrência é muito forte e difícil de superar.

Outro erro frequente é acharmos que uma ideia aparentemente boa para nós é realmente boa para o mercado. Pensamos em um produto que parece tão bom que "certamente" será um sucesso. O problema é que podemos estar redondamente enganados e depois de investirmos tempo e dinheiro, vamos descobrir que o produto não vende. Fazer pesquisa de mercado é importante mas muitas vezes não temos recursos para isto. Mas a internet pode dar uma mão neste sentido. Fazendo uma busca poderemos verificar se existem produtos semelhantes ou mesmo iguais ao que pretendemos desenvolver. Se alguém já faz pode ser sinal de que existe demanda. Se ninguém faz é melhor perguntar se o produto é tão original que ninguém pensou nele antes ou simplesmente porque o mercado não tem interesse neste tipo de produto.

Se depois do exercício mental e as pesquisas sugeridas acima, encontrarmos o produto com chance de sucesso, vale novamente o já comentado anteriormente. É necessário ter conhecimento técnico para desenvolver um bom produto. Hoje em dia não se discute mais qualidade. Ela é condição necessária a qualquer tipo de produto que se queira fabricar. Mas aqui qualidade tem um sentido mais amplo. Normalmente associamos o conceito de qualidade a robustez. Ou seja, um produto com qualidade é aquele que nunca quebra. Mas qualidade é mais amplo do que isto. Um produto de qualidade é aquele que deixa o cliente satisfeito e pelo qual é pago o preço justo.

Todos nós ao adquirirmos um produto, sempre fazemos uma análise de custo benefício, mesmo que de forma inconsciente. Você pode comprar um produto sabidamente de qualidade inferior, mas pagando 20% do equivalente de "primeira linha" e sair satisfeito com a compra. Então para você aquele produto tem uma qualidade adequada. Já quando você compra um produto que não executa as funções conforme o esperado e não atende às suas expectativas, a qualidade não é adequada para você, mesmo que tenha pago um valor menor por ele.

Produto de qualidade é aquele que atende às expectativas do cliente a um preço justo.







Veja também: